Arquitetura e design do Parque Güell

Arquitetura e design do Parque Güell | A maravilha do mordenisme de Gaudí

Espalhado por 17 hectares, o Parque Güell é um jardim municipal com elementos arquitetônicos. Situado na colina de El Carmel, no distrito de Gràcia, em Barcelona, o Parque Güell é um Patrimônio Mundial da UNESCO. Projetado habilmente de forma que as diversas estruturas arquitetônicas, flamboyantes e arrebatadoras, conseguem se manter discretas em relação à paisagem do parque. Linhas curvas, elementos inspirados na natureza e decorações do nacionalismo catalão trabalham todos juntos para fazer do Parque Güell uma maravilha arquitetônica.

Quem projetou o Parque Güell?

Arquitetura e design do Parque Güell

O estilo arquitetônico de Gaudí

Arquitetura e design do Parque Güell

Gaudí tem um estilo arquitetônico distinto e inovador que lhe rendeu elogios e encomiações ao longo dos séculos. Seu trabalho foi inspirado nos estilos Neo-Gótico, Art Nouveau e Modernisme, também conhecido como Modernismo Catalão. 

Suas obras podem ser caracterizadas por suas cores e texturas vívidas. Foi enquanto trabalhava no Parque Güell que ele desenvolveu o estilo Trencadis. Trencadis é a forma de arte onde belas estruturas de mosaico são criadas após a montagem de azulejos vívidos quebrados. Você também encontrará influências da natureza e da religião em suas obras. Muitas das estruturas que ele projetou assumem formas e padrões que você veria no mundo natural. Você também verá criações como o El Drac e a Serpente que falam de sua afinidade com a natureza.

Origens do Modernisme | Barcelona de 1900

Arquitetura e design do Parque Güell

Na segunda metade do século XIX, as muralhas de Barcelona haviam sido demolidas e o distrito de Eixample havia crescido dramaticamente. O centro do distrito passou a ser visto como o centro da urbanização e da burguesia. 

Nos anos 1900, Barcelona tinha uma classe alta em expansão, enquanto o resto da Espanha estava lutando com uma grave crise econômica causada pela perda das colônias de Cuba, Porto Rico e Filipinas. Estas condições criaram o ambiente certo para o crescimento do nacionalismo catalão, que se centrou em torno do renascimento das tradições e da cultura nacional catalã.

A classe alta seguiu o exemplo e começou a favorecer os artistas e arquitetos catalães. O conceito de mecenato também foi reforçado. Foi nessa época que Eusebi Güell, um aristocrata, descobriu Antoni Gaudí.

Desenvolvimento do Modernismo Catalão

No contexto do contexto político e econômico, houve um crescente impulso para retornar e revigorar as raízes catalãs. Foi este impulso que permitiu o desenvolvimento do Modernismo, em contraste com a forma como a Art Nouveau se desenvolveu em outras partes da Europa durante o século 20, como expressão do Zeitgeist da época.

O Modernismo em catalão, portanto, tinha uma natureza única, em oposição ao resto da Europa. O ressurgimento cultural e o desejo de modernização também permitiram que este movimento fosse além da arquitetura e moldasse as artes visuais, a linguagem, a literatura e até mesmo a música. Embora as formas em que esta idéia se desenrolou fossem diferentes, as obras foram projetadas para refletir a cultura cosmopolita de Barcelona. 

Em 1878, Lluís Domenèch i Montaner, que era um político, médico, artista, escritor e arquiteto, publicou um artigo "Em busca de uma arquitetura nacional" no qual ele expôs suas teorias de uma arquitetura catalã independente. Ele colocou estas teorias em prática e projetou um café para a Exposição Mundial em 1888. O café foi o primeiro edifício do Modernisme em Barcelona e, portanto, é considerado o momento que marca o início do Modernisme.

Logo, edifícios no novo estilo modernista passaram a ser vistos não apenas como um sinal de prestígio, mas também do patriotismo catalão do patrono. Com a expansão de Barcelona, e uma população maior de aristocratas, a linha do horizonte da cidade era como uma tela vazia pronta para ser transformada. 

Como em qualquer mudança, o modernismo encontrou resistência. Em 1906, o jornalista e crítico de arte Eugeni d'Ors começou a argumentar contra o Modernismo e defendeu o Noucentismo (traduzido mais ou menos como "movimento do novo (século 20)"). Em 1910, o Noucentisme começou a declinar, depois que começou a ganhar a reputação de ser um estilo opulento. As linhas retas e formas funcionais do Noucentisme começaram a ser preferidas em relação às fachadas extravagantes modernistas. Alguns artistas do Modernismo, como o arquiteto Josep Puig i Cadafalch, adaptaram-se à cena, enquanto outros desapareceram. Gaudi continuou seu trabalho através da Sagrada Família a partir de 1912 até sua morte.

Elementos do Modernisme no Parque Güell

Arquitetura e design do Parque Güell

Imitação da natureza

A combinação perfeita de elementos arquitetônicos e da natureza no Parque Guell não foi uma coincidência, mas um plano bem pensado. Os edifícios, vias e caminhos do Parque Güell foram integrados à topografia da montanha. Ele aproveitou as curvas e encostas e criou sistemas que trabalhariam em conjunto, como o sistema de coleta de água da chuva, ou os viadutos e caminhos. Gaudí chegou a introduzir plantas e vegetação mediterrânea como pinheiros, alfarrobeiras, oliveiras e outras plantas que se adaptaram bem ao meio ambiente.

Arquitetura e design do Parque Güell

Art Nouveau

A fusão da natureza e do projeto arquitetônico foi parte integrante do trabalho de Gaudi. Como alguém fortemente influenciado pela natureza, Gaudi não simplesmente replicou o que viu na natureza, mas também criou obras que a imitariam. Por exemplo, você não encontrará nenhuma linha reta em todo o Park Guell porque Gaudi não acreditava que linhas retas ocorriam na natureza. Ele, ao invés disso, optou por curvas e linhas onduladas. As rotas e viadutos; as colunas que suportam as estradas têm a forma de troncos e pinheiros enquanto a forma do viaduto se assemelha a uma onda. Outro grande exemplo seria o poço de ventilação em forma de cogumelo vermelho que brota dos dois pavilhões na entrada.

Arquitetura e design do Parque Güell

Cores vivas 

O uso de cores brilhantes é evidente em todo o parque. Ladrilhos coloridos e mosaicos caprichosos se uniram para criar um país mágico místico. A técnica Trencadis não é usada apenas na criação do El Drac, mas até mesmo no revestimento do banco Serpentine e do teto da Sala Hypostyle. O mosaico colorido é um deleite sensorial, especialmente durante as horas de luz solar, pois é possível observar o jogo de luzes e cores.

Motivos religiosos no Parque Güell

Antoni Gaudi era um cristão devoto e a influência sobre a religião pode ser encontrada em todas as suas obras. Você encontrará muitas cruzes com quatro braços, um estilo distinto de Gaudi, em todo o parque. Cada um dos quatro braços da cruz para um dos pontos cardeais, e um quinto ponto para o céu.

A mais importante das cruzes do Parque Güell está localizada no Morro do Calvário, ou El turó de les Tres Creus (O Morro das Três Cruzes). Duas das cruzes apontam para os quatro pontos cardeais, enquanto a terceira tem a forma de uma flecha apontada para o céu.

Ingressos para o Parque Güell

Parque Güell: bilhetes com hora marcada

Confirmação imediata
Ingressos eletrônicos
Duração flexível
Mais detalhes +

Visita Guiada Parque Güell sem Filas

Cancelamento gratuito
Confirmação imediata
Ingressos eletrônicos
Duração flexível
Tour guiado
Mais detalhes +

Combo: Parque Güell + Sagrada Familia

Confirmação imediata
Ingressos eletrônicos
Duração flexível
Tour guiado
Mais detalhes +

Gaudí em um dia: visita guiada ao Parque Güell e Sagrada Família

Cancelamento gratuito
Confirmação imediata
Ingressos eletrônicos
3 h 30 min. - 4 h 30 min.
Tour guiado
Mais detalhes +

Combo: Parque Güell + Casa Milà

Confirmação imediata
Ingressos eletrônicos
Duração flexível
Audioguia
Mais detalhes +

Combo de ingressos: Parque Güell + Casa Batlló

Confirmação imediata
Ingressos eletrônicos
Duração flexível
Audioguia
Mais detalhes +

Parque Güell e Antoni Gaudí: perguntas frequentes

Quem projetou o Parque Güell em Barcelona?

O Parque Güell foi projetado por Antoni Gaudi, um arquiteto catalão, conhecido por seus projetos Art Nouveau e Modernisme.

Quem foi Antoni Gaudi?

Antoni Gaudi foi um arquiteto conhecido e a face do modernismo catalão.

Qual é o estilo arquitetônico do Parque Güell?

O Parque Güell é projetado no estilo Modernisme, caracterizado pela forma orgânica da arquitetura, linhas curvas e cores vivas.

Meus ingressos para o Parque Güell permitem o acesso aos elementos arquitetônicos do parque?

Sim, seus ingressos do Parque Güell permitem o acesso à zona monumental do parque, que abriga todos os elementos arquitetônicos projetados por Gaudi.

Em que foi inspirado o Parque Güell?

O Parque Güell foi inspirado pelo movimento inglês de cidades-jardim.

O que há dentro do Parque Güell?

Dentro de Parque Güell você encontrará flora em expansão, bem como elementos arquitetônicos que se misturam perfeitamente. Alguns dos principais destaques do parque incluem a Escadaria do Dragão, a Sala Hipostilo, a Praça Grega, o Pavilhão do Anfitrião, os Viadutos, Estradas e Caminhos e o Pórtico da Lavanderia.

Onde está localizado o Parque Güell?

O Parque Güell está localizado no Monte Carmel, no CEP 08024 de Barcelona, Espanha.

Quando foi construído o Parque Güell?

O Parque Güell foi construído entre 1900 e 1914.

A excursão Parque Güell está aberta agora?

Sim, o Parque Güell reabriu suas portas após o fechamento devido ao Covid-19 e vem organizando passeios desde então.

Os ingressos para o Parque Güell estão disponíveis online?

Sim, os ingressos para o Parque Guell estão disponíveis online. Você pode comprá-los aqui.